.




Copyright © 2000/2002 - Pesquisa, Texto e Acervo de Fotos: Evangê Costa - Todos os Direitos Reservados.
 Extraído do Livro ''O Caminho das Pedras - A Saga do Pessoal do Ceará''
website oficial
website oficial

ROMANCE NO DESERTO
Gravadora:
BMG-Ariola (Nº 140.0003 e CD Nº 10.018)
Lançamento: 1987 (LP/K7) - 1989 (CD)

 

À Sombra de um Vulcão (Fagner e Fausto Nilo)
Paraíso Proibido (Fagner e Fausto Nilo)
Demônio Sonhador (Fagner e Fausto Nilo)
Ansiedade (vs.: Fagner e Fausto Nilo para Ansiedad de Besart)
Romance no Deserto (vs.: Fausto Nilo para Romance en Durango)
Você Endoideceu Meu Coração (Nando Cordel)
Deslizes (Michael Sullivan e Paulo Massadas)
Chorar é Preciso (Moraes Moreira)
Incêndio (Petrúcio Maia e Belchior)
Preguiça (Gonzaga Jr. )

 

        Rio de Janeiro, 14 de Novembro de 1987. Com uma tiragem inicial de 200 mil exemplares, Raimundo Fagner lança o seu 14º elepê solo - ''ROMANCE NO DESERTO'' (BMG-Ariola, No. 140.0003) - retornando ao tema fundamental em sua carreira: o amor. Pleno e total.
        Direção Artística: Miguel Plopschi; Produção: Raimundo Fagner e Michael Sullivan; Assistente Musical: Ivair Vila Real; Apoio de Produção: Fausto Nilo; Arregimentacão: Gilberto D'Avila.
        As músicas: Das dez faixas do disco apenas quatro têm a assinatura de
Fagner e em parceria com Fausto Nilo: À Sombra de um Vulcão (uma indisfarçável homenagem a atriz Rita Hayworth - nunca houve uma mulher como Gilda - e ao diretor John Houston), Paraíso Proibido, Demônio Sonhador e Ansiedade, uma versão de Fagner e Fausto Nilo para Ansiedad, de José Enrique e Sarabia Rodrigues, imortalizada na voz de Nat King Cole. As demais são: Romance no Deserto - uma versão de Fausto Nilo para Romance en Durango, de Bob Dylan e Jacques Levy; Você Endoideceu Meu Coração, de Nando Cordel; Deslizes, de Michael Sullivan e Paulo Massadas; Chorar é Preciso, de Moraes Moreira; Incêndio, de Petrúcio Maia e Belchior; Preguiça, de Gonzaga Jr.
        As músicas Você Endoideceu Meu Coração, Deslizes e Incêndio, são conhecidas do grande público através dos shows de Raimundo Fagner ao longo dos anos. Incêndio é a música mais antiga e já fazia parte do repertório desde 1974. Foi gravada anteriormente pela cantora Bimba em disco independente lançado em 1981.
        Os músicos: Lincoln Olivetti (teclados, bateria, arranjos e regências), Fernando Souza (contra-baixo), Robertinho de Recife (guitarras), Manassés (violas e cavaquinho), Leo Gandelman (sax soprano, alto e tenor soprano), Chiquinho (acordeon), Rildo Hora (gaita), Dino (violão 7 cordas), Fabiola, Solange, Nina, Regina Correa, Renata Moraes, Ronaldo Correa, Roberto Correa, Paulo Massadas, Júnior Mendes (vocais).
        A princípio a crítica musical (?) não gostou do disco. Principalmete do sucesso enorme que estava fazendo a música Deslizes em todas as rádios do País. Segundo o jornalista Maurício Kubrusly ''o sucesso é que nem tersol: dá e passa. O de Fagner já passou. E o disco novo, ''ROMANCE NO DESERTO'', sugere que o cantor tenta se amoldar à fase de romantismo brega que tomou conta das FM's do Brasil. Tanto que a faixa que mais se enquadra no gênero é Deslizes, exatamente aquela na qual ele exagera mais na interpretação. Adivinhe quem compôs essa canção... Claro! Michael Sullivan e Paulo Massadas.''
        A crítica (?) não gostou da inclusão da dupla Michael Sullivan e Paulo Massadas, autores de Deslizes, no disco de Fagner. O crítico musical carioca Miguel de Almeida no artigo ''A Conspiração do Brega'', atacou ferozmente Fagner. Maurício Kubrusly, que um dia chamou Fagner de ''a maravilhosa voz de taquara rachada'', mudou a afirmação para ''Baladista de Fm''.
        É até bom explicar que naquele momento, as emissoras de FM do País inteiro estavam apostando numa música mais suave e amorosa. Cantores como Rosana, Marquinhos Moura, Adriana, Fábio Jr., Sandra de Sá, nomes até então banidos da programação diária das FM’s, rotulados pejorativamente de bregas e relegados ao horário da madrugada (quando ninguém escuta) começaram a despontar no cenário nacional. Os ouvintes foram de extrema importância no processo, obrigando as rádios FM’s a mudarem as grades de programação e tocarem os cantores românticos, anteriormente acuados nas emissoras AM. Em cada 10 músicas solicitadas pelos ouvintes, 9 eram românticas e o mais importante: eram brasileiras. Assim, o rótulos de brega e romântico passaram a conviver mutualmente. Até cantores citados notadamente como membros da elite da MPB passaram a incluir coisas mais populares em seus repertórios.
        Músicas como O Amor e o Poder, de Rosana, I Love You Baby, com Adriana e Solidão, com Sandra de Sá, tornaram-se as mais solicitadas e tocadas em rádios até então consideradas pop/rock.
        Nos anos setenta, o próprio Fagner sentiu na pele o gostinho do preconceito. Na época, no auge do estouro da música Revelação, disseram que, como ele era da elite da MPB não podia tocar no rádio AM, só em FM. Com Deslizes aconteceu quase a mesma coisa. Acharam que a música era brega e muito popular para o rádio FM. Mas o sucesso de uma música, queiram ou não, quem determina é o povo. Ele é que tem o poder mágico de mudar as coisas ditas e postas.
        Mas graças a Deslizes, Fagner fez as pazes com o sucesso e com as rádios. A música, uma das mais solicitadas, bateu todos os recordes do mercado, chegando a 700 dias de execução em todas as emissoras do País , fazendo o disco ''ROMANCE NO DESERTO'', 1º lugar de vendas da gravadora BMG/Ariola atingindo um milhão de exemplares vendidos.
        Raimundo Fagner foi um dos primeiros artistas brasileiros a ter um CD lançado nos Estados Unidos com o álbum ''ROMANCE NO DESERTO'' ( BMG MUSIC/New York, No. 9629-2 RL) ainda no final de 1987. Importado pela BMG Brasil (antiga gravadora RCA), curiosamente este CD foi lançado no País antes mesmo da versão nacional chegar às lojas em 1989, portanto dois anos antes.
O CD americano, assim como a primeira versão nacional tem as mesmas músicas.
        Não se sabe se por negligência ou pressa da gravadora em lançar o CD no País, a primeira versão nacional embora com dez faixas, apresenta no encarte e no rótulo do disco os títulos de catorze músicas. Além das já citadas, estão também Dona da Minha Cabeça, Lua do Leblon, Rainha da Vida e Sabiá, músicas do elepê de 86. Felizmente perceberam o descuido e lançaram uma segunda edição do CD incluindo as canções faltantes (BMG, No. 10.018).
        O álbum ''ROMANCE NO DESERTO'' tornou-se um marco na carreira de Raimundo Fagner. Vendeu mais de um milhão de exemplares e teve músicas como À Sombra de Um Vulcão e Deslizes que permaneceram 700 dias entre as mais executadas em todas as rádios do País. No programa ''Fantástico'', do dia primeiro de janeiro de 1989, um júri de 150 pessoas escolheu Deslizes em sexto lugar, entre as 10 melhores músicas do ano de 1988.
        O sucesso do disco rendeu o especial ''Raimundo Fagner - Romance no Deserto'', exibido pela Rede Manchete de Televisão no dia 26 de outubro de 1989. No repertório do especial os seus grandes sucessos como Canteiros, As Rosas Não Falam, Revelação, À Sombra de um Vulcão e é claro, Deslizes; e músicas do disco ''O QUINZE'' como Amor Escondido, Desfez de Mim e Retrovisor.

DISCOGRAFIA