Mensagem do Presidente da SOBER


Prezados colegas,

Tenho grande orgulho em lhes dirigir esta mensagem, que abre os trabalhos e a organização ao público mais amplo do nosso 50º Congresso da SOBER.

Não são muitas as instituições acadêmicas do Brasil que registram este histórico, ininterrupto, de encontros entre pesquisadores, cientistas, técnicos, gestores, planejadores e público em geral ao longo de 50 anos.

A SOBER foi fundada em 19 de fevereiro de 1959 no Rio de Janeiro por um pequeno grupo de estudiosos interessados nos temas agrícolas e rurais. A organização de seu primeiro Congresso nacional tardou um pouco, razão pela qual a efeméride do cinquentário de seu Congresso nacional é comemorada 2 anos após sua criação.
Um recorrido ao passado dá conta de que no ano de 1976 a cidade de Vitória/Espírito Santo sediou o Congresso da SOBER, tendo como tema “Agricultura e o Balanço de Pagamentos”. Naquele momento, os colegas que se empenhavam em consolidar a SOBER no quadro das sociedades científicas nacionais, discutiam temas que até hoje mantêm atualidade.
Nas últimas duas décadas, nós cientistas, assim como a sociedade em geral, temos sido confrontados com novos reptos, que se referem precisamente à inclusão da natureza, do meio ambiente e dos não-humanos na engenhosa equação da produção agroalimentar e agroenergética. Mais do que cultivar organismos vivos e gerenciar processos biológicos, a agricultura é um processo que envolve e faz interagir os seres humanos, os produtores e a natureza.

Ao longo do século XX os processos de cultivo, gestão, manejo, produção, armazenamento e distribuição de alimentos, fibras e matérias-primas foram profundamente alterados através da ciência e da aplicação de tecnologias. Mas nem sempre este processo beneficiou os agricultores e as populações rurais e muitas vezes a natureza foi vista como mera externalidade, o que justificava ações que durante muito tempo legitimaram uma relação de espoliação e destruição dos recursos naturais.
A SOBER continua com sua missão precípua de examinar e escrutinar, sob o ângulo judicioso das lentes científicas, os processos sociais, as dinâmicas econômicas, as formas de gestão, as contradições, os desafios e as perspectivas da produção e dos que produzem no campo, os agricultores. Nossa grande contribuição ao Brasil continua ser a formação de recursos humanos de alta qualidade para o agro e o rural brasileiros.

Em seu 50º Congresso, a ser realizado em Vitória/ES, entre 22 a 25 de julho de 2012 nas dependências da Universidade Federal do Espírito Santo, a SOBER escolheu como tema “Agricultura e Desenvolvimento Rural com Sustentabilidade”, justamente para que os pesquisadores e cientistas da economia, sociologia e administração rural possam contribuir com a busca de conhecimentos técnicos e científicos que permitam assegurar a produção agroalimentar em abundância e qualidade de forma socialmente justa e ambientalmente sustentável.
O tema escolhido reflete as preocupações crescentes nos centros de pesquisa e pós-graduação do Brasil e do mundo, assim como se inscreve nas discussões da Conferência Internacional RIO + 20, que ocorrerá em 2012. Estamos, portanto, com os pés fincados no passado, mas os olhos mirando o cenário atual e o pensamento imaginando o futuro.

Em nome da Diretoria e do Comitê Organizador Local do 50º Congresso da SOBER, conclamo a todos os sócios, especialmente os mais antigos, mas também os que se somaram mais recentemente, a comparecer ao nosso Congresso para discutir e refletir conosco.

Cordiais saudações,

Sergio Schneider
Presidente da SOBER


 

 

Documento sem título